Pgina Principal

 UNIVERSIDADE FEDERAL DE SERGIPE

Estilo atual: Padrão

Notícias UFS

  • O portal da Universidade Federal de Sergipe vai ser mudado a partir de maio, mês de aniversário da UFS. Por isso, um novo sistema mais moderno e funcional será implementado, com migração total de conteúdo. Para a adaptação a essas mudanças, os administradores das páginas de domínio do portal são convidados a participar da palestra “Apresentação do novo Portal UFS e orientações para gestão e migração de conteúdo no novo sistema”.

    Para atingir o maior público possível, prevendo inclusive a vinda de servidores dos campi do interior, a palestra será proferida dia 2 de maio, das 9 às 12h, e novamente no dia 3 de maio, das 14 às 17h, no auditório da Reitoria. O convite para essas palestras também foi enviado pelo Gabinete do Reitor (GR) por meio de ofício circular eletrônico.

    Ainda no mês de maio, o Núcleo de Tecnologia de Informação (NTI) também oferecerá duas palestras mais específicas para o treinamento no novo sistema e a Assessoria de Comunicação (Ascom) manterá seu trabalho de atendimento personalizado para dirimir eventuais dúvidas sobre a alimentação de conteúdo. Oportunamente, o NTI disponibilizará um tutorial com orientações para a alimentação do conteúdo.

    O NTI está envidando esforços para garantir uma migração de conteúdo o mais completa possível. Mas, para que isso ocorra, será necessária a realização de ajustes no atual portal para que os dados sejam migrados integralmente, minimizando possíveis impactos da mudança de sistema que podem incluir a não visualização de conteúdos pelo público externo. Por isso a presença de todos os administradores de conteúdo na palestra do dia 2 ou 3 de maio é fundamental.

    Novo portal

    O novo Portal UFS será lançado dia 30 de maio de 2016, como parte das comemorações dos 48 anos da UFS, quando o atual portal será desativado definitivamente. O projeto foi desenvolvido pelas equipes da Ascom, NTI e Núcleo de Editoração e Audiovisual (Neav).

    Com layout moderno, novas funcionalidades e estrutura de navegação mais intuitiva, o novo portal carrega um sistema de gerenciamento de conteúdo mais amigável, estável, seguro e com ferramentas mais eficientes para publicação de conteúdos, a exemplo da publicação de notícias do setor, editais, galerias de imagens, vídeos, tabelas, entre outros.

    Ascom

    comunica@ufs.br

  • Com o objetivo de estimular a aprendizagem e a interação das pessoas com deficiência, o Campus Rural da UFSatravés da fazenda experimental dos cursos do Centro de Ciências Agrárias Aplicadas – e a Associação dos Pais e Amigos dos Excepcionais de Aracaju (Apae) firmaram parceria interdisciplinar no início deste mês e enxergam resultados positivos.

    Segundo a coordenadora da Apae, Bárbara Vazquez, a proposta da parceria surgiu da necessidade de os alunos participarem, na prática, de processos comuns do próprio cotidiano, fazendo com que eles se sintam incluídos socialmente e compreendam a extensão das suas habilidades.

    “Nossa metodologia é trabalhar com oficinas que proporcionem o desenvolvimento das habilidades de nossos alunos. Com a de meio ambiente, iniciada no ano passado, percebemos inúmeros estímulos positivos, então resolvemos buscar uma parceria com a UFS para que isso fosse ampliado. Assim, os alunos poderão participar do projeto de construir a estufa e reformar o jardim”, esclarece Bárbara.

    Acompanhando de perto todo o projeto, o engenheiro agrônomo do campus Rural, Ézio dos Santos, explica que a interação entre a UFS e a Apae acontece semanalmente e é extremamente gratificante.

    “Numa semana, vou à sede da Apae para ministrar as aulas teóricas e, na semana seguinte, os alunos vão ao campus Rural para pôr em prática aquilo que aprenderam. Esse aprendizado, além de ser de extrema importância para cada um deles, também é muito gratificante para a nossa experiência profissional. Lidar coma  deficiência é abrir um outro caminho para alcançar os resultados. Todos eles são muito capazes e isso é fantástico de ver”, salienta Ézio.

    Para essa parceria, também está prevista a visita de técnicos e de bolsistas Prodap do campus Rural na sede da Apae para atividades complementares.

    O cronograma Apae-campus Rural segue da seguinte forma nos meses de maio e junho:

    - Aula UFS Rural – 4 e 26 de maio // 2 e 17de junho;

    - Aula Apae – 9 e 18 de maio // 06 e 11 de junho.

    Outras informações através do telefone 2105-7433.

    Ascom

    comunica@ufs.br

    Fotos: divulgação.

     

  • O curso de Turismo da Universidade Federal de Sergipe recebeu nota 4, considerado ‘muito bom’, na avaliação externa de renovação de reconhecimento realizada pelo Ministério da Educação (MEC). A avaliação, que foi feita entre os dias 3 e 4 de março, analisa dimensões como: organização didático-pedagógica, corpo docente e infraestrutura.

    No quesito organização didático-pedagógica o curso obteve nota 3,5, o corpo docente ficou com 4,6 e a infraestrutura, 4,1. Na avaliação do MEC, a nota 3 equivale a suficiente, 4 a muito bom e 5, excelente. O curso de Odontologia (São Cristóvão) também recebeu a visita avaliativa do MEC em 2016 e obteve nota 3.

    Para a coordenadora do curso, professora Rosana Eduardo, “a obtenção do conceito 4 ratifica o compromisso e qualidade da equipe de professores, do corpo discente, do projeto político pedagógico, bem como das atividades didático-pedagógicas realizadas”.

    Vinícius Moisés Rodrigues é aluno do sexto período de Turismo e acabou de chegar de um intercâmbio na ColômbiaEle acredita que a nota recebida pelo MEC ajudará o curso a se desenvolver. "A classificação do MEC é de extrema importância e vai beneficiar os alunos, professores e a universidade. Acredito que com isso o núcleo tenha mais chances de ser elevado a departamento".

    Para Kleber Fernandes de Oliveira, à frente da Coordenação de Planejamento e Avaliação Acadêmica da UFS (Copac), a nota é de extrema importância não para a universidade, mas para todo o estado. “Para um estado como Sergipe, que tem um potencial turístico tão grande, é muito bom ter um curso de turismo com esse conceito, pois atende as necessidades turísticas do estado, além de ser o único de Sergipe”.

    A avaliação

    A realização dos processos avaliativos é responsabilidade do Instituto Nacional de Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep/MEC), sob coordenação e supervisão da Comissão Nacional de Avaliação da Educação Superior (Conaes).

    A renovação do reconhecimento deve ser solicitada pela instituição de ensino superior, e é uma forma que o MEC possui de ficar a par de como os investimentos federais estão sendo empregadosOs resultados dessa avaliação, juntamente com a nota do Enade e a Avaliação das Instituições de Educação Superior (Avalies), constituem os outros indicadores avaliativos da qualidade do ensino superior no país.

    A UFS aguarda outras visitas do MEC para 2016, porém, o ministério comunica as datas com um mês de antecedência.

    Sobre o curso

    O curso de bacharelado em Turismo foi criado em 2006 e conta atualmente com 10 professores, doutores e doutorandos. Anualmente oferece 50 vagas no turno vespertino, estando organizado em oito semestres letivos.

    Possui 224 alunos matriculados e conta com três laboratórios: Laboratório de Planejamento e Organização de Eventos, Laboratório de Estudos Interdisciplinares em Turismo e Laboratório de Práticas Turísticas. Os laboratórios têm por objetivo fomentar o tripé ensino, pesquisa e extensão, possibilitando diferenciadas estratégias no processo de ensino-aprendizagem.

    O curso conta com dois grupos de pesquisa cadastrados no CNPq. O Grupo de Pesquisa Gestão de Turismo e Hospitalidade, que está diretamente vinculado ao projeto pedagógico do curso e nasceu com a finalidade de dar suporte científico e técnico às diversas áreas de atuação profissionais; e o Grupo de Pesquisa em Antropologia e Turismo (Antur), cuja finalidade é refletir sobre o papel da Antropologia e do Turismo considerando a relação destas disciplinas com a sociedade, a cultura e a educação por meio de estudos científicos e técnicos, ações extensionistas, atividades didático-pedagógicas e artístico-culturais.

    Ascom

    comunica@ufs.br

  • São 230 bolsas no valor de R$ 400

  • O Colégio de Aplicação da UFS (Codap) foi contemplado com o 1º lugar em Sergipe no edital para o Programa Segundo Tempo, do Ministério do Esporte (veja resultado abaixo). O colégio elaborou uma proposta que ofertará dois núcleos, com 70 vagas cada um, nos quais poderão se inscrever crianças e adolescentes do Codap e de São Cristóvão.

    Os núcleos oferecerão 6 horas semanais de atividades no âmbito do esporte educacional, que envolve desde a vivência de práticas esportivas variadas a ações pedagógicas transversais com temas relativos à cidadania, saúde e qualidade de vida. Essas práticas serão realizadas no contraturno escolar, ensejando, assim, numa proposta de educação integral.

    Para a diretora do Codap, Marília Menezes Nascimento Souza, essa é uma conquista não do colégio, mas de toda a universidade e da sociedade. "Além de fortalecer nossas ações no âmbito do ensino, pesquisa e extensão, essa ação representará também o compromisso do Codap com as questões sociais e educacionais que envolvem a comunidade do entorno da UFS". 

    Ainda segundo Marília, esse edital foi o primeiro em que colégios de aplicação das Instituições Federais de Ensino Superior (Ifes) tiveram oportunidade de concorrer.

    O programa, que terá a vigência de 24 meses, prevê a contratação de professores e estagiários de Educação Física, que passarão constantemente por um processo de formação conduzido por profissionais do Codap.

    Visite a página do Programa Segundo Tempo.

    Ascom

    comunica@ufs.br

    Foto-legenda: Adilson Andrade-Ascom/UFS.

  • Quem circula pelos espaços físicos ou acompanha as redes sociais e os grupos coletivos de estudantes da Universidade Federal de Sergipe provavelmente se deparou nos últimos dias com alguma intervenção dos estudantes de Publicidade e Propaganda, do Departamento de Comunicação Social (DCOS).

  • As inscrições para o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2016 começam em 9 de maio próximo. O prazo vai até às 23h59 do dia 20. A edição do exame deste ano trará, pela primeira vez, o reconhecimento individual, com a impressão da digital na ficha de identificação do participante por meio de selo gráfico, autoadesivo. Todos os detalhes foram apresentados pelo ministro Aloizio Mercadante nesta quinta-feira, 14, e estarão no edital do Enem 2016, a ser publicado no Diário Oficial da União desta sexta-feira, 15.

    “A coleta acontece no primeiro ou no segundo dia de provas; não nenhuma possibilidade de uma pessoa fazer prova no lugar de outra”, ressaltou o ministro. O novo procedimento de segurança soma-se aos demais — envelope com lacre e detector de metais. o aplicativo Enem 2016 para celulares, desenvolvido pelo MEC, trará todas as informações necessárias aos participantes ao longo do exame, além do acompanhamento da inscrição.

    Disponível para smartphones, o recurso também servirá para o envio de informações aos inscritos, como cronograma do Enem, mural de avisos, dicas e resultados, além de espaço para contato. “O participante vai ter um instrumento de diálogo contínuo com o MEC e vai poder guardar a senha de forma segura”, destacou Mercadante.

    Isenção

    O Enem deste ano tem uma estimativa de 8 milhões de inscrições. “Destes, 2,2 milhões são estudantes que estão no último ano do ensino médio, que precisam fazer a prova este ano”, lembrou o ministro. Além dos concluintes do ensino médio em 2016 matriculados em escolas da rede pública, estão isentos da taxa de inscrição aqueles que se declararem carentes. Como previsto na edição do ano passado, os isentos que não comparecerem nos dois dias de provas perderão o benefício na próxima edição.

    Aqueles que obtiveram isenção no Enem de 2015, não compareceram aos dois dias de provas, mas pretendem pedir nova isenção, devem justificar a ausência, conforme previsto no edital. Haverá campo específico para o esclarecimento no próprio sistema de inscrição.

    A medida, adotada a partir da edição do ano passado, contribui para reduzir a abstenção e, por consequência, evitar desperdício de dinheiro público. O Enem de 2015 contou com 7,7 milhões de inscritos. A abstenção ficou em 25,5%, a menor da série histórica do exame.

    Para dar mais comodidade e opções aos não isentos da taxa, o pagamento, este ano, pode ser efetuado em qualquer agência bancária, casa lotérica ou agência dos Correios, por meio de Guia de Recolhimento da União (GRU). O valor da taxa será de R$ 68. O pagamento deve ser feito até às 21h59 (de Brasília), do dia 25 de maio.

    A confirmação das inscrições será feita apenas pela Página do Participante. No ato da inscrição, os candidatos precisarão informar um número de celular ou de telefone fixo válidos, bem como cadastrar um endereço eletrônico (e-mail), o qual não pode ser utilizado por outro participante.

    Especiais

    Pessoas com deficiência ou necessidades específicas contarão com atendimento especializado, de acordo com solicitação a ser feita pelo próprio interessado no sistema de inscrições. Para tanto, devem dispor de documento comprobatório, legível. Nele, deve constar o nome completo do participante; o diagnóstico com a descrição da condição que motivou o pedido de atendimento diferenciado; a assinatura e a identificação do médico ou profissional especializado, com o número do registro no Conselho Regional de Medicina ou no conselho de classe.

    Nome

    Travestis e transexuais que pretendem ser identificados pelo nome social devem fazer a inscrição normalmente, no período estabelecido no edital, de 9 a 20 de maio. Entretanto, para usar o nome social, precisam encaminhar cópia de documento de identificação, foto recente e formulário disponível on-line, preenchido, entre os dias 1º e 8 de junho próximo, pelo sistema, na Página do Participante.

    Provas

    Nos dois dias de exame — em 5 e 6 de novembro —, os portões nos locais de provas serão abertos às 12h e fechados às 13h (horário oficial de Brasília). As provas terão início às 13h30. O tempo extra de meia hora será usado para procedimentos de segurança, como revista eletrônica, e para dar tempo a todos os presentes de entrar em sala e guardar os pertences. O período total de duração das provas permanece em quatro horas e meia no primeiro dia (sábado) e cinco horas e meia no segundo dia (domingo).

    Oportunidades

    A nota do Enem é usada como critério de acesso à educação superior por meio do Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e do Programa Universidade para Todos (ProUni). A participação na prova também é requisito para receber o benefício do Fundo de Financiamento Estudantil (Fies), participar do programa Ciência sem Fronteiras ou ingressar em vagas gratuitas dos cursos técnicos oferecidos pelo Sistema de Seleção Unificada da Educação Profissional e Tecnológica (Sisutec). Além disso, estudantes maiores de 18 anos podem obter a certificação do ensino médio por meio do Enem.

    Em caso de dúvidas sobre o exame, os estudantes podem ligar para o telefone 0800 616161.

    Assessoria de Comunicação Social do MEC

  • Evento será hoje às 18h no auditório da Reitoria; eleição ocorre em 27 e 28/4

  • A manhã desta quarta-feira, 13, foi de debate no Hospital Universitário da Universidade Federal de Sergipe (HU-UFS). O reitor da UFS, Angelo Antoniolli, que concorre à reeleição ao cargo pela chapa Somos Todos UFSQualidade e Compromisso Social, esteve no Hospital para apresentar propostas, ouvir servidores e funcionários e esclarecer as dúvidas expostas.

    A professora Iara Campelo, candidata a vice-reitora, também esteve presente. “A cada quatro anos a UFS se debruça na escolha do seu representante maior, colocamos o nosso nome para que possamos dar continuidade a um trabalho que estamos realizando em prol do desenvolvimento da universidade em todos os seus campi. Essa continua sendo uma gestão pautada na construção coletiva, na inclusão e no diálogo intenso”, disse Angelo Antoniolli.

    De acordo com o reitor, após a homologação do concurso para o HU de Lagarto, a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) terá cerca de dois mil servidores federais atuando em Sergipe. “Isso gera emprego e renda e, obviamente, aquece a economia do Estado, pois serão mais de R$ 200 milhões por ano somente em salários pagos”, destacou. “A Ebserh foi estabelecida por um decreto do então presidente da República, e um dos seus princípios é que o atendimento deve ser 100% gratuito, dentro do Sistema Único de Saúde (SUS)”, disse. Angelo Antoniolli.

    Destaque

    O reitor ressaltou ainda algumas das ações que têm colocado o HU-UFS em destaque. “Como todos têm acompanhado pela mídia, o Brasil foi surpreendido pelos casos de microcefalia. Em um primeiro momento, Universidade Federal de Sergipe, Secretaria de Estado da Saúde e Hospital Universitário, em uma ação conjunta, organizaram um mutirão composto por profissionais de diversas especialidades na área da Saúde para atender a crianças nascidas com suspeita de microcefalia no estado de Sergipe, e esse atendimento continua ocorrendo até hoje, da melhor forma possível, dentro do HU, e com o esforço de diversos profissionais”, reconheceu.

    “O HU vai entrar para a história de Sergipe por ter construído, de forma competente, apesar do pouco tempo que teve, uma matriz para esse tipo de atendimento”, complementou.

    Obras

    Um dos temas mencionados pelos participantes do debate foi a suspensão das obras que abrigarão a Unidade Materno Infantil e o Anexo Hospitalar. “O HU está se tornando um hospital de grande porte. As obras estão suspensas, tivemos problemas sérios com a falência das construtoras que estavam responsáveis por esses prédios, mas continuamos negociando recursos para a conclusão, o que certamente trará melhorias no atendimento prestado à população”, declarou.

    Outros temas abordados durante o encontro foram os esforços para as implantações das residências médica e multiprofissional, além da telemedicina, uma conquista do Hospital Universitário. “Temos clareza dos caminhos que devemos seguir, estamos ouvindo a comunidade, os seus anseios, sempre numa missão clara de que a universidade deve estar na direção da sociedade, para que esta tenha de fato o resultado de uma prestação de bons serviços”, pontuou

    Assessoria de Comunicação do HU

  • A edição do último final de semana do Jornal da Cidade traz a entrevista do reitor Angelo Antoniolli. Veja abaixo.

    UFS deverá investir R$ 100 mi até 2020

    Angelo Antoniolli diz não temer desafios e que as novas metas a serem cumpridas estão pautadas na legalidade e na busca para aproximar ainda mais a comunidade acadêmica da sociedade.

    O reitor da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Angelo Antoniolli, está à frente da instituição três anos e será reconduzido ao cargo. Ele é candidato único na escolha do novo reitor nas eleições que acontecerão nos dias 27 e 28 de abril. Nesta entrevista, ele diz não temer desafios e que as novas metas a serem cumpridas estão pautadas na legalidade e na busca para aproximar ainda mais a comunidade acadêmica, formada por 30 mil alunos e três mil servidores, entre professores e técnicos, da sociedade. Angelo fala também da segurança nos campi e da situação em Lagarto e Nossa Senhora da Glória, (Campus da Saúde e Campus do Sertão, respectivamente). Confira a entrevista na íntegra:

    JORNAL DA CIDADE O senhor é candidato à reeleição para reitor da UFS em chapa única. A que atribui não ter concorrentes nesta eleição?

    ANGELO ANTONIOLLI- O nosso trabalho, nesses três anos e meio, deve ter nos credenciado para que lográssemos chegar à consulta perante a comunidade universitária sem nenhuma chapa como concorrente. Evidentemente nós não temos a pretensão de ser unanimidade em torno dos nossos nomes. Sabemos que colegas que devem ter pretendido lançar uma chapa para concorrer com a nossa. Não o fizeram, todavia. A razão disso? eles o sabem. Porém, de qualquer forma, estamos colocando os nossos nomes diante dos professores, técnicos administrativos e alunos. Com humildade e com a esperança de que o nosso trabalho será devidamente reconhecido pela maioria dos que se dispuserem comparecer à votação. Aliás, conclamamos a todos que analisem o que fizemos e o que pretendemos fazer, como está tudo registrado no nosso programa.

    JCQue balanço que o senhor faz dessa atual gestão? O que foi feito?

    AA- Tem sido uma gestão norteada pelos desafios. Mas nós nunca fomos de temer os desafios nem de cruzar os braços diante de prováveis empecilhos. Quem tem compromisso deve procurar seguir em frente. pedras no caminho? Devem ser removidas. trabalho árduo a ser executado? Vamos executá-lo. Nós fomos eleitos, em 2012, para gerir a UFS. É o que temos feito. E é o que continuaremos a fazer. Falando no que foi feito, uma gama muito grande de obras realizadas e sendo realizadas. Novos cursos, na graduação e na pós-graduação, um campus inaugurado (Lagarto) e um campus provisório aberto (Sertão). Obras estruturantes têm sido realizadas, como é o caso da moderna estação de tratamento de efluentes, no Campus de São Cristóvão, prédios departamentais e tantas outras obras.

    JCQuais desafios a vencer e quais metas a serem cumpridas?

    AA- Impulsionar a UFS, acercar-nos muito mais da sociedade sergipana, especialmente nas localidades onde estão situados os nossos campi. Avançar com as questões inerentes ao ensino, à extensão e à pesquisa. Procurar atender os anseios legais e legítimos da comunidade universitária, sem jamais atropelar a lei, como almejam os arautos da demagogia.

    JCQuanto houve de investimentos na UFS em projetos e obras nessa atual gestão? Qual a previsão para a próxima gestão?

    AA - Com respeito a investimentos em obras e instalações, foram destinados no período 2013/2015, R$ 150 milhões. Para a próxima gestão, 2016/2020, estão previstos investimentos na ordem de R$ 100 milhões. Contudo, não nos acomodaremos. Haveremos de buscar mais recursos. Lutaremos por isso sem descanso. E temos certeza de que o nosso trabalho nos credenciará para lograr êxito nessa empreitada.

    JCQuando teremos os campi de Lagarto totalmente pronto? Quantos e quais cursos oferta e quantos alunos estudam nesse campus?

    AA- Ainda não temos previsão de quando estará o campus de Lagarto totalmente concluído, mas estamos nos empenhando para que isso ocorra o mais breve possível. funcionam oito cursos: Enfermagem (214), Farmácia (182), Fonoaudiologia (135), Fisioterapia (199), Medicina (196), Nutrição (167), Odontologia (83) e Terapia Ocupacional (156), totalizando, assim, 1.332 alunos matriculados no ano letivo de 2015.

    JC – E o Campus do Sertão? Quando começam as obras e qual a previsão de inauguração? Quantas vagas e cursos oferta e quantas vagas irá ofertar quando da inauguração?

    AA- Estamos funcionando em caráter provisório. Esperamos iniciar as obras do campus definitivo entre 2016 e 2017, a depender da situação orçamentário-financeira do País. Mas estaremos empenhados para que o MEC nos assegure os recursos necessários. O Campus do Sertão tem hoje quatro cursos, ofertando 50 vagas em cada, no total de 200 vagas. É, sem dúvida, um bom começo. E uma vitória daquela região.

    JCOs campi do interior funcionam a contento?

    AA- Em parte, sim. , porém, estruturas que precisam ser melhoradas, como é o caso de Itabaiana, ou melhormente aproveitadas, como é o caso de Laranjeiras. O campus de Lagarto continuará a ser edificado no que falta. E o campus definitivo do Sertão haverá de ser iniciado no tempo devido.

    JC – Como o senhor avalia a segurança nos campi e o que foi feito e o que está sendo feito para melhorar? Como é feita a segurança nos campi? Quantos vigilantes? Quantos motorizados?

    AA- Com o universo de pessoas que compõem a comunidade universitária em relação ao número de ocorrências, especialmente de furtos, podemos assegurar que a segurança na UFS é boa, embora precise sempre melhorar. Nada deve bastar quando se procura alcançar resultados positivos, como é o que nos acontece. Todavia, quando ocorre alguma situação merecedora de uma atenção especial, como duas que ocorreram este ano, nós tomamos as providências cabíveis junto às autoridades competentes. Não nos furtamos em procurar assegurar a tranquilidade aos nossos professores, técnicos administrativos e estudantes. A UFS possui em seus campi 49 postos de vigilância resultando em um total de 98 vigilantes de empresa terceirizada, sendo que oito vigilantes motorizados no campus de São Cristóvão e oito vigilantes no campus de Lagarto, os demais campi não possuem vigilantes motorizados devido às suas estruturas físicas. Possuímos ainda 22 vigilantes do quadro efetivo da UFS, porém estes são desarmados. A UFS tem buscado o emprego de tecnologias, a exemplo de 200 câmeras de alta definição para monitoramento eletrônico, um investimento aproximado de R$ 1,5 milhão e instaladas no Campus de São Cristóvão, e a melhoria da iluminação, reduzindo a altura de 42 postes e instalados 303 novos postes em que foram investidos R$ 4.356.677,30, buscando, assim, melhorar a visibilidade dentro da nossa universidade. Encontra-se em fase de finalização um projeto de instalação de aproximadamente dois mil metros de cerca tipo concertina no perímetro do campus, no perímetro que faz divisa com a mata que circunda a UFS. Iremos também realizar uma limpeza nas áreas mais problemáticas do campus e uma intervenção mais acentuada em nossa paisagem, como levantamento de copa e redução destas, melhorando assim a visibilidade de nossos vigilantes patrimoniais e da polícia no momento das rondas que serão realizadas dentro do campus. Com as reuniões realizadas com a SSP, será reforçado o policiamento no entorno da UFS, haverá manutenção de ações da Polícia Federal com rondas em horários alternados no interior do campus e ronda da Polícia Militar, sendo que esta última ação será definida na próxima segunda-feira, dia 11, com o capitão Alcântara, do Município de São Cristóvão.

    JC – A UFS tem quantos alunos? E quantos professores e funcionários? perspectivas de crescimento? Em quanto?

    AA- A UFS tem em torno de 25 mil matriculados na graduação presencial e de 3.600 na graduação a distância. Temos ainda 2.740 alunos na pós-graduação. A Universidade Federal de Sergipe possui, atualmente, 1.456 professores e 1.478 servidores técnico-administrativos. A perspectiva de crescimento para os próximos anos está diretamente relacionada às pactuações estabelecidas entre o MEC e a UFS, vinculadas aos novos campi, principalmente ao Campus do Sertão, uma vez que o campus de Lagarto, nesse item, encontra-se em fase consolidado.

    JC – A UFS saiu na avaliação do MEC de uma instituição de pequeno para médio porte. Quando chegará a grande porte? O que falta a isso?

    AA- foi uma vitória, fruto de um trabalho sequenciado nos últimos anos, sobretudo a partir das gestões anteriores nas quais ocupamos o cargo de vice-reitor, termos saltado de pequeno para médio porte, como universidade. Quanto ao futuro, deveremos continuar palmilhando o chão de novas vitórias, de novas conquistas. Temos consciência do que somos, do que temos, do que poderemos ser e do que poderemos ter. Para tanto, será preciso continuar lutando. E a luta não é do reitor, não é da chapa que está se colocando à consulta. A luta haverá se der de todos que zelam pela UFS. Afinal, “Somos Todos UFS”.

    JC – O que representou para a UFS receber o selo de excelência da OAB? Essa honraria surpreendeu? A que o senhor credita o recebimento desse selo?

    AA- Representou a confirmação de que o nosso curso de Direito é top de linha, como dizem os estudantes. Não surpreendeu porque em cinco edições do OAB Recomenda o nosso curso de Direito foi agraciado em todas. Somos, pois, pentacampeões. Os nossos professores e os nossos alunos têm uma qualidade invulgar. O mérito é de todos eles. A eles, os nossos parabéns e os nossos agradecimentos.

    JCSobre a biblioteca da UFS. Quais as condições atuais do acervo e estrutura física? previsão de melhorias para esse espaço?

    AA- O nosso acervo bibliográfico é composto de 76.846 títulos, com 239.349 volumes, além de 6.091 títulos de periódicos e 123.396 fascículos. Constam ainda centenas de dissertações de tese, matérias especiais, relatórios, gravuras e separatas. A comunidade acadêmica pode, ainda, consultar cerca de 30 mil e-books. Em 2015, foram efetivados 411.172 empréstimos e 906.187 usuários estiveram pesquisando na Bicen.

    JCQuantas refeições são servidas diariamente no Resun e quanto custa para o aluno, e para a universidade, cada refeição? Qual o custo de manutenção do Resun e quanto ele tem de receita?

    AA - Diariamente, são fornecidas cerca de quatro mil refeições, distribuídas entre o almoço e o jantar. O aluno paga o valor simbólico de R$ 1,00 por refeição. E cerca de mil alunos que têm isenção do pagamento desse valor. A UFS paga por cada refeição fornecida o valor de R$ 10,40.

    Por: Célia Silva/Equipe JC”.

    Foto: André Moreira/JC.